codice testata

sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

Dolomiti: O Reino dos grandes silêncios

Dolomiti
Eu sempre gostei e ainda gosto de passear na montanha. Que belo levantar de manhã, tomar café olhando pela janela e vendo um sol esplendente e alto no céu, passarinhos que sussurram entre si, um bosque luxuoso que de pouco em pouco quando o olho, se aumenta a altitude se reduz a ponto de transformá-lo em arbusto, tufo de erva, destemida flor que surge entre as rochas, vibrando pelo ar de alta altitude, orgulhosa de ser portadora de cores numa paisagem lunar.... (more)

Dolomiti: O Reino dos grandes silêncios
Sugestão de Musica: Coro Stella Alpina - Signore delle Cime
  

O amor que tenho pela montanha é algo que vem de longe, da lembrança de verões passados.

Me lembro que com a minha familia, partiamos `a noite de Treviso, depois do jantar para evitar o trânsito e chegávamos já tarde da noite em Passo Gardena, deslizando longo a estrada cheia de curvas infinita, o frio que não queria ficar fora e como um fantasma ultrapassava a janela onde eu apoiava a minha cabeça, tentando dormir. Phil Collins cantava, cantava sempre no nosso carro quando estávamos na montanha. E depois o sono profundo e pacífico sobre grossas cobertas de plumas, o ar sempre fresco com cheiro de bosque, de pinho e de funghi. Aqueles quartos simples mas bem cuidados, cheios de objtetos de madeira esculpida e bordados de todos os tipos, sempre me deram a sensação de estar em casa.

Eu sempre gostei e ainda gosto de passear na montanha. Que belo levantar de manhã, tomar café olhando pela janela e vendo um sol esplendente e alto no céu, passarinhos que sussurram entre si, um bosque luxuoso que de pouco em pouco quando o olho, se aumenta a altitude se reduz a ponto de transformá-lo em arbusto, tufo de erva, destemida flor que surge entre as rochas, vibrando pelo ar de alta altitude, orgulhosa de ser portadora de cores numa paisagem lunar. Com a colher em uma mão e o biscoito na outra, parece impossível chegar lá em cima, onde também no verão a neve insiste. mas é incrível ver onde se pode chegar simplesmente dando um passo após o outro. Essa lição eu aprendi com a montanha.

Dolomiti, Gruppo Sella

E depois tinham as colonias de férias organizadas pelos salesianos.

Eles tinham uma belissima colonia em Val Canali, bem no meio de uma grama verde e florida, onde com tempo bom se celebrava a missa e as vigílias noturnas. Me lembro particularmente de uma noite em que os animadores acordaram as 3 da manhã pra deitar na grama e admirar as estrelas. Abandonar o calor do leito para se aventurar no frio noturno das montanhas, não parecia uma das mehlores idéias mas o espetáculo de um céu estrelado assim, raramente consegui ver. Não tinha luzes artificiais incomodando so tímidos pontos de luz que brilhavam sobre nossas cabeças, o frio rendia nítida a vista e precioso cada instante (não se podia resistir por muito tempo) e um silêncio absoluto emoldurava aquele senso de imensidão que cada um percebia.
Na verdade creio que seja isso que procuro ainda hoje e encontro nas montanhas: um silencioso senso do imenso.

Dolomiti, Malga Canali

E quantas barragens construímos eu e meu irmão quando nos levavam a torrente? Com as pedras que encontrávamos e com os sapatos cheios pela metade de água gelada, tentávamos desviar o grande curso de água que se rompiam inexoravelmente com os bancos. E no fim do dia todos íamos comer Tosèla ou polenta com carne de cabra, com a fome que só um dia inteiro brincando podia dar. E no inverno construimos pistas na neve com um sawuinho de lixo embaixo do bumbum e desciamos depois de subir pelas encostas nevadas dos vales com neve até os joelhos. O frio não tocava, ou melhor ficamos mais suados no inverno que no verão. E quando voltávamos pra nossa casinha na montanha, tirávamos as roupas cheias de neve e ficávamos em frente a lareira enquanto os grandes preparavam chocolate quente e castanhas. Me lembro que a gente ria tanto e jogávamos o jogo do ganso enquanto o fogo evaporado das roupas deixadas pra enxugar e acendia as buchechas de todos.

Dolomiti, Rifugio Scarpa

Parece impossível que nesses lugares cheios de paz e serenidade, 100 atrás ecoavam os canhões. Impossível também imaginar que naquela época, garotos jovens cheios de vida, morreram tremendo aqui em cima, com um fusil na mão e vestindo a camisa de uma guerra de trincheira que pra eles não havia nenhum senso. Era a primeira guerra mundial e entre essas montanhas morreram garotos que não eram soldados, que tinham uma namorada e que levavam as vacas para o pasto poucos dias antes da guerra. Ainda hoje quando se caminha pelo percurso de Altavia, pode-se encontrar pregos de sapatos e lascas de granada, em casa eu tenho uma caixa de sapatos cheia. Relíquias que recordam um passado doloroso e absurdo. Pensando na história, abraçado pelo verde desses vales que refrangem o som de limpidas torrentes e pequenas cascatas, é dificil controlar as lágrimas pensando nesses garotos.

Dolomiti, Guerra



❤ Dicas Práticas
A Dolomiti se vive tantono verão quanto no inverno. No verão existe a possibilidade de fazer excursões de todo tipo. Pode-se optar por simples caminhadas dedicadas a toda a familia, que os conduzirão a equipadas areas para pic nic e vastos gramados onde se pode brincar livremente. Pra quem é aventureiro, existem percursos de vários tipos, aqueles mais impenhativos mas 100% seguros com equipamentos para escalada e rapel para profissionais e inciantes. Um panorama maravilhoso é garantido!

Nós aconselhamos particularmente a zona de Alta Badia. Encontrarão um ambiente bem cuidado e a altura de suas exigências. Cada Hotel ou Chalé organiza excursões em grupo então se vocês tem medo de se perder unam-se a eles! As areas de jogos para as crianças são em abundancia e vocês encontrarão facilmente aluguel de mountain-bike, além de passeios a cavalo pelos bosques e para os mais aventureiros ainda, cursos de para-pente e rapel. Enfim uma imersão total no esporte e na natureza.

No inverno o panorama se transforma e tudo se cobre de neve. É o periodo dos amantes do sky e do snow board! Nas zonas de Alta Badia (Corvara, Colfosco, Arabba,...) os teleféricos são novissimos e os compressores longos e espetaculares. Aqui também se pode começar por um nivel base, talvez com a ajuda de um professor e descendo de pistas mais simples, ou se preferir pode arriscar-se nas pistas mais radicais de descidas ingrimes. E meu conselho é de lembrar-se de fazer uma pausa em uma da baitas para beber um belo bombardino!

Se ao invés de aventuras você é uma pessoa que ama a montanha pela paz que traz e não ha nenhuma intenção de mover um musculo, porque o esporte te da arrepios mais que o frio, não tenha medo! Muitos hoteis são equipados com areas de bem estar e spa que voces serão com certeza do seu gosto.

O que dizer então...Boas férias!


Link Utili:
* Trenitalia
* Alta Badia

Nenhum comentário:

Postar um comentário